"Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam. E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles".

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

PERFUME EXÓTICO

Quando, fechando os olhos por outono ardente,
Eu respiro o perfume de teu seio ansioso,
E vejo desdobrar-se o litoral mais ditoso,
Fascinado ao clarão do sol renitente;

Nesta ilha preguiçosa dá a natureza
A árvore singular, de fruto saboroso;
O homem cujo corpo é delgado e vigoroso,
A mulher cujo olhar espanta de franqueza.

Guia-me o teu aroma à luz de novos astros,
De porto a palpitar de velames e mastros
E que a vaga do mar ainda exaure e domina,

Enquanto o verde odor dos tamarineiros,
Que circula pelo ar e me intumesce a narina,
Mistura-se em minha alma o canto dos marinheiros.



Charles Baudelaire

Um comentário:

Trícia disse...

Oi Juarez, quanto tempo! E você ainda se lembra do meu aniversário... fico feliz. Obrigada!

Quero ter tempo para ler esse blog.

Beijos
Patrícia